MEGA FORMA

10 de jul de 2012

Caso Elisa Samudio:Advogado afirma que Bruno e Macarrão tinham relacionamento homossexual

Ex-goleiro confirmou, nesta segunda-feira (9), ser o autor de carta divulgada no fim de semana.
 tatuagem macarrão
Tatuagem de Macarrão, feita horas antes do desaparecimento de Eliza Samudio, mostra a relação íntima entre os dois amigos

O ex-goleiro Bruno Fernandes e Luiz Henrique Romão, o Macarrão, tinham um relacionamento homossexual. A afirmação foi feita pelo advogado de defesa do ex-jogador, Rui Pimenta, no início da tarde desta segunda-feira (9), após o encontro do defensor com o jogador na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele afirmou ainda que Eliza Samudio não apenas sabia do relacionamento amoroso dos dois, como também participava de relações sexuais com ambos.

— Um é o homossexual ativo, é o que gosta de ter relação com o passivo, é o que gosta de introduzir. No caso, o Bruno seria o ativo e o passivo seria o Macarrão. Acontece que ela (Eliza) participava de orgias com os dois.
O defensor disse ainda que a carta, revelada pela revista Veja no último sábado (7), teria a ver com esse relacionamento homossexual. Segundo Pimenta, Bruno confirmou que é o autor do texto, endereçado ao amigo. A estratégia de revelar a existência de uma relação amorosa entre Bruno e Macarrão é defendida por Pimenta desde quando assumiu o caso, no fim do ano passado.
O advogado afirmou que durante o encontro com o ex-goleiro, ele revelou também o que estaria escrito no final da carta. O  trecho, que foi rasurado, se refere a uma suposta traição de Macarrão a Bruno e isso significaria o término da amizade.
— Ele escreve que se não fosse aprovado o plano citado, o plano B, ele se via desvinculado da amizade do Macarrão, pelo fato de ele (Bruno) ter sido traído quando mandou que levasse ela (Eliza) para a rodoviária e ele a levou para o Bola, e sumiram com ela.
O advogado de defesa de Macarrão, Leonardo Diniz, afirmou que não irá se pronunciar sobre a reportagem da revista Veja nem sobre as declarações de Rui Pimenta por, segundo ele, não terem relação com os autos. Ele disse que irá tomar as providências judiciais cabíveis.
Em nota, a Subsecretaria de Administração Prisional informou que a carta escrita por Bruno não consta nos registros de correspondências enviadas ou recebidas por detentos. O ex-goleiro foi ouvido hoje, e disse que entregou a carta a outro preso da unidade, na tentativa de que ela chegasse até Macarrão.

Carta
A revista Veja divulgou, no último sábado (7), uma carta escrita pelo ex-goleiro Bruno Fernandes, em que ele supostamente pede para o amigo Macarrão assumir a culpa pelo desaparecimento e morte de Eliza Samudio. No documento ele cita a existência de um "plano B", mas não dá detalhes sobre o significado da expressão.
De acordo com o advogado de defesa de Bruno, Rui Pimenta, o pedido é "juridicamente impossível", já que mesmo que Macarrão assumisse o crime, o ex-goleiro teria de ir a júri.
— O teor da carta, para mim, não é muito significativo, me parece mais tratar de um relacionamento homossexual entre eles, conteúdo sentimental mesmo. A revista parece ter interpretado de forma equivocada, para fazer tumulto com a imagem do Bruno.
O ex-goleiro escreveu: "Eu, sinceramente, não pediria isso pra você, mas hoje não temos que pensar em nós somente! Temos uma grande responsabilidade que são nossas crianças, então, meu irmão, peço que pense nisso e do fundo do meu coração me perdoe, eu sempre fui e sempre serei homem com você". Bruno ainda pede perdão várias vezes ao amigo.
A versão original da carta está atualmente com a Secretaria de Defesa Social (SEDS) do Estado. A revista teria tido acesso a uma cópia do texto por meio de um agente penitenciário que não foi identificado.
Pimenta ressalta que, embora a publicação tenha afirmado que o texto é verdadeiro "não é informado qual perito analisou a carta para comprovar a autenticidade dela".
— A estratégia do "plano B" parece mais se tratar do término da relação, uma questão interna deles. Não há elementos ali que apontem para o caso do desaparecimento da Eliza.
Dois anos na cela
Bruno Fernandes completou dois anos de prisão no último sábado (7). A Justiça de Contagem concedeu a liberdade condicional ao goleiro em relação ao processo que foi condenado, no Rio de Janeiro, por agressão e cárcere privado de Eliza. Mesmo assim, ele continua detido devido ao mandado de prisão referente ao assassinato da jovem.

Veja o video da Materia


Fonte:.r7.com 

Nenhum comentário: