MEGA FORMA

8 de jul de 2012

JBS-Friboi não estaria cumprimndo acordo trabalhista com funcionarios da unidade arrendada de Açailândia-MA!


Açailândia  - Recentemente a JBS-Friboi arrendou  a Distribuidora de Carne Equatorial Ltda., (Frisama) da cidade de Açailândia-MA, e mais três plantas da empresa no estado do Pará. 


A negociação tem causado certa apreensão por parte dos pecuaristas da região, onde um fazendeiro confidenciou ao Blog (Açailândia de Fato), sobre sua preocupação  em relação ao  arrendamento, e o mesmo disse que faz a si mesmo a seguinte indagação; "até que  ponto foi bom essa transação"? Visto que a questão do "monopólio" segundo o mesmo, muitas vezes desvaloriza o mercado agropecuário, devido não haver a  livre concorrência.


Temerosos também estão alguns funcionários que foram reaproveitados da antiga controladora, e estão trabalhando hoje sobre a responsabilidade da empresa JBS-Friboi, e segundo informações prestadas por um ex-funcionário da Distribuidora de Carne Equatorial Ltda. (Frisama), ao Blog (Açailândia de Fato), Ambas as empresas ao fechar o negocio, fizeram um acordo de que a JBS-Friboi ficaria com a responsabilidade de fazer todos os acertos trabalhistas com os ex-funcionários da ex-empresa controladora (Frisama).

Há rumores entre os funcionários, de que o acordo não estaria sendo cumprido conforme o combinado, e que a empresa JBS-Friboi não estaria  disposta a arcar com as responsabilidades de se fazer os acertos trabalhistas com os ex-funcionários da Distribuidora de Carne Equatorial Ltda. (Frisama).

O que tem causado muita preocupação, já que os funcionários temem  uma possível onda de desemprego, ou até mesmo perderem todo seu tempo de trabalho ao longo de vários anos, já que segundo denuncias, a JBS-Friboi já foi acusada de fazer arrendamento de empresas em varias parte do País, e depois sem nenhuma  explicação fecha as mesmas, 

Para se ter uma idéia,  ao fazer uma pesquisa na internet sobre a empresa JBS-Friboi, encontramos varias denuncias contra a mesma, que vai desde formação de cartel, a trabalho escravo, conforme podem ser acessada nos links abaixo.

Nenhum comentário: